Homofobia - Porque calar, porque falar

22/06/2015 07:10:27

Houve um tempo, não muito distante, em que as pessoas homossexuais declaravam apenas a opção pelo sexo que portavam. Não havia a menor possibilidade de posicionar-se de forma diferente. Embora a declaração fosse para um lado, e a sexualidade para o outro, mantinham a preferência escondida, e transitavam pelo lugar comum, casando-se com pessoas do sexo oposto, absolutamente fiéis ao que a sociedade deles esperava. Em algum momento da vida, quase sempre em viagens distantes, ousavam sair do armário, para retornar, cheios de culpa, ao papel extremamente solitário, em que se encontra o indivíduo que, mesmo em família, gasta a sua existência negando e escondendo algo tão íntimo e pessoal quanto o instinto que rege a opção sexual. Não era fácil.

Houve um tempo em que as pessoas homossexuais começaram a sair do armário solitariamente, quase sempre no final da adolescência, quando encontravam apoio de um dos progenitores, - sempre da mãe, que é a pessoa que sabe antes, porque conhece o filho como ninguém. Foi um avanço no sentido de que não era mais necessário assumir casamento com pessoa de outro sexo, gerar filhos, e atender toda a demanda que se espera de um adulto ao atingir a maioridade, ou ficar condenado a uma solteirice social crônica, limitada pela solidão da espécie. Ainda assim,...

Ler completo >>