A falta que não nos faz falta

21/01/2015 08:22:34

Eu nunca tive uma exigência excessiva na hora de passar a roupa da minha casa. Não sei passar bem e talvez por isso, não me importava muito com a qualidade desse trabalho. Até que a Lia apareceu na minha vida. Passadora de carteirinha. Daquela que chega, prepara o ferro com vapor, liga o som do celular bem baixinho, enchendo a área de serviço com louvores, e a pilha de roupa passada vai aparecendo, aos poucos, e o calor do vapor se espalha até a cozinha, amaciando as fibras, que parecem novas.

Depois que experimentei as roupas passadas pela Lia, nunca mais quero ficar sem a Lia. Eu que detestava guardar a roupa passada, hoje faço essa função com prazer, aspirando o suave cheiro do amaciante que se combina ao toque macio, e que sem o vapor do ferro não aparecia. Eu gastava com amaciante, e as roupas ficavam duras, porque faltava o vapor.

Ontem, pela manhã, enquanto dobrava a roupa lavada, à espera da sexta feira, que é o dia da Lia trabalhar em minha casa, tive a alegria mansa de saber que está tudo em ordem: essa ordem tão minimamente necessária que faz as coisas funcionarem à perfeição. Tive até um certo orgulho de saber que agora sei o que é uma roupa bem passada. Antes, eu não sabia.

Mas assim que tive esse pensamento, me arrependi. Foi como se alguma mensagem misteriosa me chegasse por um sentido que a ciência ainda não s...

Ler completo >>